Fatos Masculinos

Psoríase: o que é, sinais, tipos e tratamentos

Psoriase

Uma doença de pele bastante comum, mas que é pouco falada é psoríase.

Neste artigo de hoje, vamos te mostrar os tipos desta doença, diagnóstico, sinais da psoríase e algumas informações pouco divulgadas.

Depois de uma ampla pesquisa chegamos há algumas conclusões interessantes e queremos mostrar para você.

O que é a Psoríase?

A psoríase é uma doença autoimune, que causa inflamações na pele, mas ela não é contagiosa.

Ela é uma doença crônica a sua origem ainda é estudada, mas ela está diretamente relacionada ao sistema imune sendo 30% dos casos com incidência genética.

A psoríase se caracteriza por lesões na pele que são avermelhadas e descamativas, essas lesões normalmente se apresentam em placas.

Leitura ideal: Dermatite – Tipos, causas, sintomas e os tratamentos.

Tipos de psoríase

A psoríase pode se manifestar no indivíduo de diversas formas, a literatura médica relata as formas da psoríase.

Segue cada uma delas, como um pequeno resumo de como se caracterizam.

Leitura somente para homens: X-Animal – o produto revolucionário que promete aumentar o pênis e acabar com a impotência sexual masculina.

Psoríase vulgar (ou psoríase em placas)

Psoriase vulgar

Esse tipo de psoríase, é a forma mais comum conhecida da doença, muitas pessoas inclusive só conhecem esse tipo.

Ela é caracteriza por lesões que variam de tamanho com coloração avermelhada, possui também escamas prateadas ou esbranquiçadas.

Os locais de maior incidência dessas lesões são os joelhos, os cotovelos e o couro cabeludo, no entanto elas não são exclusivas dessas áreas podendo aparecer em todas as regiões do corpo inclusive em regiões pouco prováveis como a parte interna da boca ou áreas genitais.

As lesões podem apresentar dor, coceira ou não causarem nada.

Em áreas próximas as articulações podem haver sangramento ou rachaduras, mas somente em situações onde o caso vem a se agravar.

Leitura indispensável: Como acabar com a queda de cabelo – O Guia Completo.

Psoríase palmo-plantar

Psoriase palmo-plantar

É um tipo de psoríase onde as lesões se caracterizam como fissuras das palmas das mãos e nas solas dos pés.

Há uma variante desse tipo de psoríase, chamada de psoríase palmo-plantar pustulosa, esse tipo apresenta pequenas lesões amareladas que contém pus.

Psoríase invertida

Psoriase invertida

Se caracteriza por apresentar manchas vermelhas e inflamadas que irão atingir principalmente as áreas mais úmidas do corpo (geralmente áreas que possuem dobras, como a parte da virilha e coxas, axilas e embaixo dos seios.

Também pode aparecer próximo aos órgãos genitais.

Diagnóstico de obesidade ou de suor em excesso também provoca um agravamento desse tipo de psoríase.

Psoríase Gutata

Psoriase Gutata

Esse tipo de psoríase geralmente acaba sendo desencadeado por infecções bacterianas.

Nela há formação de pequenas feridas com um formato semelhante a uma gota. Essas lesões são cobertas por uma fina escama.

Os locais onde essas lesões mais aparecem são nas pernas, nos braços, no couro cabelo e ás vezes no tronco do paciente.

É bem mais comum o seu aparecimento em pessoas com menos de 30 anos, sendo as crianças um alvo muito frequente.

Psoríase pustulosa

Psoriase pustulosa

Essa psoríase é um dos tipos mais raros existentes.

As lesões tanto podem correr em todo o corpo ou se concentrarem apenas nas mãos e nos pés.

Sua evolução é bastante rápida sendo que as lesões avermelhadas surgem primeiro e logo em seguida e em pouco tem há a formação de bolhas com pus.

As lesões geralmente não demoram para diminuir, elas secam em um ou dois dias, no entanto a sua taxa de reincidência é bem alta, podendo reaparecer em dias ou em semanas.

Outros sintomas também estão relacionados a esse tipo de psoríase, como: fadiga, coceira, e em alguns casos febre ou calafrios, a ocorrência desses sintomas pode variar de um indivíduo para outro.

Psoríase ungueal

Psoriase ungueal

É um tipo de psoríase que tem predileção por afetar as áreas dos dedos e unhas (podendo ser tanto das mãos quanto dos pés).

Se caracteriza pelo crescimento fora da normalidade das unhas, também pode ocorrer descamação ou engrossamento.

A unha pode perder a cor ou começar a apresentar manchas amareladas.

Nos casos onde há um agravamento desse tipo de psoríase a unha pode se descolar do dedo ou se esfarelar.

Psoríase artropática ou artrite asoriásica

Na verdade, esse tipo de psoríase é uma artrite inflamatória e afeta pessoas que possuem psoríase crônica (cerca de 5% a 7%, de acordo com estudos feitos pelo Manual de Oxford de Medicina clínica).

O paciente com psoríase artropática apresenta inflamações na pele apresenta dores nas articulações e com o tempo de progressão da doença as articulações podem ficar rígidas.

Psoríase eritrodérmica

Psoriase eritrodermica

É um tipo grave de psoríase, mas também sua incidência é menos comum.

Ela se apresenta com lesões generalizadas, ela geralmente acomete cerca de 80% a 90% do corpo do paciente.

Se caracteriza pela ocorrência de manchas vermelhas que podem vir a arder ou a coçar de forma intensa.

O uso de corticoides e uma pausa brusca, infecções, outros tipos de psoríase em que não haja um controle, podem desencadear uma piora e consequentemente ao surgimento da psoríase eritrodérmica.

Leitura complementar: Escabiose – esta será uma sarna humana? Saiba quais os sinais e os tratamentos.

Sintomas da psoríase

A psoríase se manifesta de forma variável de paciente para paciente, os que são mais comumente encontrados são:

  • Manchas espalhadas pelo corpo, geralmente apresentam escamas secas prateadas ou brancas;
  • Dor e sensação de queimação;
  • Coceira no corpo;
  • Inchaço e rigidez nas articulações;
  • Pele extremamente seca e com rachaduras, em alguns casos é possível que haja sangramentos.

No consultório médico

Caso você comece a desenvolver alguns dos sintomas listados acima, deverá ser a hora de começar a pensar em marcar uma consulta com um médico que possa direcionar uma investigação para saber se o que você possui é um tipo de psoríase ou outro problema.

Marcar uma consulta com um clínico geral ou com um dermatologista é o primeiro passo para mudar a condição do paciente.

É importante se preparar para a consulta levando com você algumas informações para ajudar no diagnóstico.

Algumas informações podem ser anotadas e apresentadas ao médico no horário da consulta.

Anote em uma lista todos os sintomas que você vem apresentando e há quanto tempo você tem notado a incidência deles.

Coloque também todo o histórico médico, se você já teve alguma doença contagiosa ou grave, se usa medicamentos constantemente ou algum tipo de suplemento.

Caso haja a possibilidade é importante que o paciente vá com uma pessoa, pois algumas pessoas reagem negativamente com a confirmação da doença.

O médico irá avaliar se os seus sintomas são recorrentes ou não e verificar quais as articulações que foram afetadas.

Caso algum parente seu possua diagnóstico positivo para a psoríase, relate ao médico desde o início da consulta, essa é uma informação valiosa para a chegada em um diagnóstico correto.

Leitura para homens: Torção testicular – o que fazer se você sente dores ou possui inchaço nos testículos.

Diagnóstico médico da psoríase

Para um diagnóstico da psoríase é importante que o médico realize um exame clínico, analisando as lesões existentes na pele, na unha e no couro cabeludo.

Também o médico levará em conta o que foi dito na consulta, o histórico médico do paciente e seu histórico familiar.

Em alguns casos para que seja concluído o diagnóstico será necessário a realização de uma biopsia de pele para assim se chegar a uma decisão correta e indicar a melhor alternativa de tratamento e acompanhamento para o paciente.

Tratamento e evolução da psoríase

Hoje no mercado, existem vários tratamentos para o paciente que tem psoríase, eles possuem objetivos de tornar a aparência da pele mais regular e ajudar a reduzir a inflamação e formação de placas.

Os tratamentos existentes no mercado seguem três linhas de opções:

Tratamento tópico

É um tratamento feito à base de pomadas ou cremes, tratamento sistêmico ou também em alguns casos o uso de fototerapia.

O médico deverá escolher o tratamento baseado em seu diagnóstico clínico e em que tipo de psoríase o paciente tem.

Apenas o médico deverá indicar o medicamento.

Os pacientes que possuem poucas lesões (apresentam uma forma mais leve de psoríase) e sem o comprometimento das articulações são tratados com medicações tópicas, alinhadas com hidratação da pele e proteção solar adequada.

Para essa condição geralmente são indicadas pomadas com corticoides em sua fórmula ou substâncias similares.

Os pacientes que apresentam tipos mais graves de psoríase necessitam de medicações mais fortes e específicas que atuem em todo o sistema.

Geralmente são medicações de uso oral, subcutâneo, intramuscular ou intravenoso, que servem para auxiliar no controle da doença.

Também é necessário uso desse medicamento caso os de uso tópico não estejam proporcionando ao paciente o resultado desejado, mas essa troca ou inclusão de remédios só deverá ser feita pelo médico.

A fototerapia é um dos tratamentos para a psoríase que conta com a exposição da luz ultravioleta.

É um tratamento um pouco mais caro, mas quando indicado o paciente possui uma boa melhora.

Ao descobrir que se tem psoríase muitas pessoas não entendem que a doença pode e deve ser tratada com todo o cuidado.

Apesar de não possuir uma cura efetiva ainda, os estudos sobre isso são promissores e os tratamento são satisfatórios.

É importante que o paciente não tente se automedicar para que não atrapalhe.

Se houver problemas de aceitação procure auxílio psicológico para saber lidar com essa condição.

O que mais importa é não interromper o tratamento sem avisar antes ao seu médico, e caso sinta que não está fazendo efeito retorne ao consultório para seja feito a troca da medicação.

Leitura ideal: Cirrose – sinais, o que é, diagnóstico e os tratamentos mais indicados.

Dúvidas mais frequentes sobre a psoríase

  1. Uma pessoa com psoríase pode ter uma vida normal?

Sim! Geralmente a psoríase não impede o paciente de realizar qualquer atividade que seja ou de levar uma vida normal.

No entanto, se ela for acompanhada de depressão ela pode afastar o indivíduo de um convívio social comum.

Por isso é importante conhecer sobre a doença e realizar consultas periódicas com psicólogos.

  1. Há alguma forma simples de amenizar as crises?

Você pode fazer coisas simples que ajudarão a amenizar os sintomas, como por exemplo, usar roupas ais leves, pois assim é mais fácil a ventilação.

Hidratar a pele ainda mais, evitar contato em excesso com a água durante o banho, o ideal é que sejam banhos curtos e frios.

  1. Uma pessoa que tem psoríase pode fazer o microagulhamento no rosto?

Esse procedimento não é indicado para quem tem psoríase, devido à grande possibilidade de existir o fenômeno de Koebner.

  1. O tratamento da psoríase deve ser feito com internamento?

Dependerá muito do caso, mas a maioria não necessita realizar internamento para tratar a psoríase. Na dúvida o médico que realiza o seu acompanhamento poderá indicar a melhor forma de tratamento.

  1. Qual a faixa etária em que ocorre uma maior frequência de psoríase?

A psoríase é uma doença que pode ocorrer em qualquer faixa etária, no entanto, pesquisas analisaram que os sintomas geralmente começam a se manifestar pela primeira vez até os 35 anos de idade.

Conclusão

Pronto, agora você já sabe o que é a psoríase, entende sobre seus sinais, diagnóstico e as principais formas de tratamento.

Esperamos poder ter sanado algumas das suas principais dúvidas sobre o assunto e ficamos extremamente contentes em você ter chegado até aqui.

Se você acredita que este conteúdo possa ter lhe ajudado, compartilhe nas suas redes sociais e ajude outras pessoas que possam ter este problema ou tenham pessoas próximas que o tenham.

Ficamos por aqui!

Me chamo Diego Brasileiro e este foi mais um conteúdo exclusivo do site: Fatos Masculinos.

Diego Brasileiro

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdos Exclusivos

Entre com seu melhor e-mail e receba conteúdos que você não encontra de graça por aí:

Desenvolvido por FeedBurner

Sobre o autor

Olá! Me chamo Rodolfo Medeiros e atualmente estudo a mente humana. Sou formado em psicologia e tenho me dedicado a entender comportamentos humanos específicos, a sexualidade e outros temas que iremos abordar aqui. Seja sempre muito bem-vindo aos Fatos Masculinos.

Sobre o Escritor:

Diego Brasileiro